Chora Que Eu Te Escuto!

Quarta feira é aquele dia né? Choradeira sem fim… vejamos o que temos para hoje:

Chora 01 – Morticia

“Minha história é a seguinte: tenho 22 anos, venho de um relacionamento de pais divorciados, situação que aconteceu devido às inumeras humilhações e agressões que meu pai, que era e ainda é alcoólatra, sujeitava minha mãe e meu irmão mais velho. Depois da separação, passamos por muitos outros problemas, e apesar de ter condições, meu pai nunca esteve presente, nem financeiramente, tampouco afetivamente, vivemos momentos que, infelizmente, me marcam até hoje. Me recordo de um dia em que falei para a minha mãe que estava com fome e ela começou a chorar, eu só tinha 3 aninhos, mas ao vê-la chorar e não entendendo a situação, disse a ela que eu estava brincando e que não estava com fome mais não. Anos depois, quando já era um pouco mais madura, lembro da minha mãe desabafando com uma tia e contando que naquele dia ela chorou, porque só tinha uma barra de sabão em casa e que naquele momento, ela estava usando para lavar roupa.

Outras dificuldades vieram, quando eu tinha 10 anos, meu irmão do meio que acabava de completar 18 anos, se envolveu com a criminalidade e acabou preso, prisão que durou um ano e três meses, período de grande sofrimento em nossa casa. Aos 12 anos, quando minha mãe, finalmente havia construído a nossa casa, isso depois de já termos passado por inúmeros despejos, meu pai resolve finalmente conceder o divórcio, mas querendo a divisão de bens, incluindo metade da casa que morávamos e que ele nem sequer ajudou a construir.

Enfim, os anos se passaram e como a justiça é lenta, o processo ainda corre. Mas ao longo desse tempo, graças a Deus, minha mãe com muito trabalho e dedicação conseguiu nos criar, meu irmão do meio, hoje com 30 anos, tomou um rumo correto na vida. Meu irmão mais velho (somos 3 filhos), de 33, se casou e também com muito esforço conseguiu se reerguer e ter uma condição financeira estável. Eu me formei aos 21 anos, em jornalismo, como acadêmica destaque, e estou dando início a minha vida profissional.

E agora, depois disso tudo, meu pai quer uma reaproximação e força isso, porém eu não consigo perdoá-lo e confesso que não sinto o mínimo afeto por ele, não sinto sinceridade em seus sentimentos e não vejo arrependimento em seus olhos. Hoje, ele está na pior e creio que, na verdade, ele só quer tirar proveito da nossa atual condição financeira. Revê-lo me traz lembranças ruins, minha mãe conta que eu chorava quando pequena, e quando era questionada pelo motivo do choro, eu falava que tinha medo de morrer de fome. Porém, meu coração é pesado, e parece que mesmo conquistando as coisas, eu nunca alcançarei a felicidade. Tenho dificuldades, inclusive, nos meus relacionamentos, porque sempre que enxergo em um homem algo que me lembra meu pai, eu já descarto inconscientemente aquela pessoa da minha vida, mas sei que ninguém é perfeito afinal.

E os problemas não acabam por aí, depois de termos superado esses transtornos, minha mãe se envolveu com um homem e vive em um relacionamento abusivo, em que é agredida verbalmente, humilhada e menosprezada, e mesmo sendo independente desse sujeito, não consegue largá-lo e o mantém na nossa casa. Não entendo como uma mulher que já superou tantas coisas, consegue se sujeitar a isso, parece que não aprendeu nada com a vida. Eu e meus irmãos já conversamos até não poder mais, mas ela não nos escuta. Já pensei em largar tudo e ir embora, em uma tentativa de recomeçar do zero, porém sempre que conversamos sobre, ela faz com que eu me sinta culpada e me coloca como ingrata. Atualmente, ela está com a saúde frágil e tenho medo de ir embora e o pior acontecer. No entanto, eu não aguento mais sofrer, acho que a minha cota já acabou, sabe? E essas coisas andam tirando a minha alegria de viver, parece que nunca terei paz de espírito.

Desculpa pelo TEXTÃO, mas queria ouvir sua opinião e um conselho.”

Sobre seu pai, se a situação pesa seu coração, perdoe-o mas isso não quer dizer que você tem que conviver com ele. Perdoe-o para tirar o peso de VOCÊ, queira o bem dele e só. Nem precisa falar isso com ele, ou até pode, mas como te falei, você não precisa e nem deve manter contato caso não queira. O que você passou foi muito marcante, pensa bem, se lembrar de algo que fez com 3 anos de idade… Aprenda a pensar mais em você, no seu bem estar e no que tem traz alegrias. Vale uma terapia aí também viu? Não sei se você faz, mas se não fizer, seria ótimo. Quanto ao problema da sua mãe, se vocês já falaram com ela, não tem muito mais o que fazer… Tire o peso dos problemas dos outros das suas costas!

Chora 02 – Cruella

“Oi Cony, tudo bem? Sou leitora dino, acompanho aqui desde o Comprei no Ebay e a bota da Cuca, morro de rir só de lembrar. Enfim, vamos ao meu chora.Há 3 anos, terminei um relacionamento de 5. Fui “terminada”, e acho que até traída, enfim. Doeu muito porque eu amava demais, mas felizmente sinto que superei, depois de tanto tempo. Há 2 meses, conheci um carinha numa balada e já fiquei com ele mais 2 vezes. Ele não é exatamente bonito, mas tem mtas coisas que me atraem. Ele é fofo, carinhoso, tem um coração enorme, me trata super bem, eu sinto um desejo que nunca senti (nem com o ex).Porém (sempre tem um porém), ele não terminou a faculdade e não sabe inglês. Aparentemente é mais “largado” com isso e não tem interesse em “ir pra frente” nesse sentido. Nem tem tanta desenvoltura pra se expressar quanto eu e meus amigos, sabe?  Se a gente vivesse em um mundo ideal, livre de julgamentos, eu ficaria com ele sem pensar duas vezes.   

Não sei se invisto, se estou sendo esnobe por pensar que sou “melhor” que ele por ter um certo padrão, se deixo ele de lado e sigo a vida, enfim…tá muito difícil tomar uma decisão e queria sua ajuda e a das leitoras. “

Fia, se isso é um problema para você, não tem nada de errado com isso! Se não é o tipo de homem que você quer, dá um next e vai conhecendo outros até aparecer do jeito que você deseja. Não é mal nenhum querer alguém com algumas características específicas. Se o julgamento é SEU, bola pra frente. Se te incomoda o julgamento dos OUTROS aí já é ouuuutra história e você não deveria dar atenção a opinião alheia. Pense bem, o julgamento é seu ou dos outros?

Chora 03 – Wandinha

“Oi Cony! Sou leitora há muito tempo e não imaginava que mandaria um chora. Pois é, a vida vira no avesso do dia pra noite. Eu tenho 27 anos, formada, trabalho na área, moro com a minha mãe, mas sou independente financeiramente. Meu chora está relacionado ao meu namoro. Conheci meu ex-namorado há 2 anos e 8 meses através de amigos. Ele mora na cidade vizinha a minha, mas precisamos de uma forcinha do destino para nos encontrarmos. Nossa relação sobreviveu há um intercâmbio de 6 meses nos EUA no primeiro ano de namoro, inclusive eu fui visitá -lo.Quando ele voltou as coisas deslancharam. Nos entendemos muito bem, as famílias se gostam, sempre falamos em casamento. Contudo, ele trabalha num ritmo completamente louco. Ele é veterinário de equinos e trabalha em um hospital 24h, que é da família dele. Isso significa que eles precisam estar disponíveis o tempo todo. Pra vocês terem ideia, já tivemos que ir embora do motel porque tinha chegado uma emergência. Essa situação tira a minha paz. Não consigo planejar um jantar, um passeio, nada. É tudo muito instável. Às vezes ele consegue passar o final de semana todo comigo, mas em outros eu nem o vejo.Há um mês eu estava surtada e pedi um tempo para organizar meus pensamentos. Desde então ele diz que não sabe o que quer, se consegue me fazer feliz da maneira que eu quero, se vale a pena continuar com as reclamações. Em momento algum ele pensou em mudança da parte dele, só eu que preciso aceitar calada essa vida louca.Porém, quando falamos em término eu fiquei bem abalada. Eu esperava que ele lutasse por mim, mas ele simplesmente desistiu e jogou a responsabilidade nas minhas costas. Eu acabei me humilhando com medo de perdê-lo e ele não decide o que quer. É isso mesmo, eu tinha pedido um tempo e hoje ele decide se quer ficar comigo ou não. Ele é um cara maravilhoso, carinhoso, fiel, família, tem os mesmos sonhos que eu, etc. Mas eu tenho medo de me anular por conta dessa rotina insana.Estou sendo egoísta e pouco compreensiva? “

Tá sendo chata sim e bem chata. Poxa, o cara é bacana, te trata bem, carinhoso, mas o trabalho dele é pesado e ele é profissional! Onde está o erro? E fica nesse joguinho de “ah vou falar pra terminar porque quero que ele lute por mim” é muito infantil. Tá aí o resultado, fez ele repensar o relacionamento e agora é ele que não quer mais (ou está pensando nisso). Fosse viciado em video game, pornografia, drogado, te largasse pra ir beber com os amigos, pra ir pra balada sozinho até vai… mas o cara tá preocupado com o trabalho dele e você apurrinhando que ele não te dá atenção. Abre o olho, senão você vai rodar mesmo. E outra, a rotina DELE é insana e o que isso tem a ver com a sua vida e o medo de se anular por isso? Você vive só a vida dele? Se for assim, já tá bem errado viu?

  • CHORAS FINALMENTE ABERTOS! Pode mandar sua dúvida, sua angústia, seu problema, seu desabafo, para constanza@futilish.com e no assunto coloque CHORA QUE EU TE ESCUTO. Seu anonimato está garantido! Quero ver o que anda afligindo vocês por aí!

Leia Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *