Confiança de Levir e pouca bronca: o vestiário do Atlético-MG no intervalo da virada no Mineirão – globoesporte.com

Técnico não mexe no time, que começa a virada sobre o Zamora com a mesma formação, mas com uma postura bastante diferente

Na volta do intervalo, perdendo por 2 a 0 para o Zamora, no Mineirão, nessa quarta-feira, Levir Culpi optou por não mexer no time do Atlético-MG. Com a classificação em risco, a decisão do treinador gerou revolta nas arquibancadas, principalmente pelo péssimo primeiro tempo. No fim deu tudo certo, e o Galo acabou derrotando o time venezuelano por 3 a 2, conquistando o primeiro triunfo no Grupo E da Copa Libertadores 2019.

+ Mais notícias do Atlético-MG

Levir Culpi durante Atlético-MG x Zamora — Foto: Bruno Cantini/ Atlético-MG

A opção de Levir Culpi no intervalo foi recuperar a confiança de todos. Os jogadores, que desceram para o vestiário do Mineirão bastante vaiados e cabisbaixos, voltaram com outra postura, muito em função da conversa do técnico com os atletas. O papo foi visando tranquilizar a todos e restabelecer a confiança de quem estava em campo, sem muita gritaria ou bronca.

Sem muita discussão, mas com organização, o Atlético-MG conseguiu seu objetivo no segundo tempo. Zé Welison e Elias, que correram muito errado no primeiro tempo, ajustaram as subidas ao ataque, sem deixar a defesa exposta. Os laterais passaram a apoiar de maneira mais organizada também, facilitando todo o rendimento ofensivo. As entradas de Nathan e Vinícius também foram fundamentais para o crescimento físico do time.

– Sobre o intervalo, eu falo que hoje nós vimos que temos um grupo forte. O Levir tinha todos os motivos do mundo para dar muito esporro na gente, mas ele deu força, (disse) que a gente tinha que acreditar. Ele disse que nós poderíamos virar esse jogo. Os jogadores reservas também acreditaram que nós iríamos virar o jogo. E foi isso que aconteceu – destacou Maicon Bolt, autor do primeiro gol do Galo no jogo.

Maicon Bolt comemorando gol do Atlético-MG — Foto: EFE/ Yuri Edmundo

Se no primeiro tempo sobrou desorganização e desatenção, após a conversa o time conseguiu se encontrar em campo, controlar as ações e buscar a virada que mantém o Atlético-MG vivo no Grupo E da Libertadores. Com três pontos, o time alvinegro ocupa a terceira posição, mas já vê mais de perto o Nacional-URU, concorrente direto pela segunda vaga, já que o Cerro Porteño disparou na liderança.

Leia Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *