Eduardo Bolsonaro cita fake news e vocifera contra Lula livre nas redes sociais

Ao cair em provocação, Eduardo se tornou o primeiro do clã Bolsonaro que usou as redes sociais para vociferar contra a soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva

eduardo bolsonaro lula livre

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) foi o primeiro representante da família presidencial a se pronunciar sobre a soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta sexta-feira (8).

A liberdade de Lula foi determinada pelo juiz substituto da 12ª vara de Curitiba, Danilo Pereira Jr., após o julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF) que decidiu na noite de ontem pela inconstitucionalidade da prisão em segunda instância.

Eduardo caiu em uma provocação do deputado Ivan Valente (PSOL-SP). “Cagam na cabeça da sociedade, ignoram o risco de botar em liberdade 160.000 presos. Não esqueçam que latrocidas,p.ex., cometem seus crimes independente da vítima ser de direita ou esquerda. Pedem prisão p assassinos de Marielle, mas querem soltar bandidos de seus partidos. Piada”, declarou o filho ‘zero três’ do presidente.

Cagam na cabeça da sociedade, ignoram o risco de botar em liberdade 160.000 presos. Não esqueçam que latrocidas,p.ex., cometem seus crimes independente da vítima ser de direita ou esquerda.

Pedem prisão p assassinos de Marielle,mas querem soltar bandidos de seus partidos. Piada. https://t.co/yh0Ifo18ye

— Eduardo Bolsonaro🇧🇷 (@BolsonaroSP) November 8, 2019

Fake News

Ao citar a possibilidade de 160.000 presos deixarem a cadeia com base na decisão do STF, Eduardo Bolsonaro usou uma informação falsa que chegou a circular por um tempo, disseminada por sites de extrema-direita e em grupos de WhatsApp. A estimativa foi desmentida pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) – segundo o órgão, a medida pode atingir cerca de 4.800 detentos.

A correção foi feita pelo deputado federal Ivan Valente (PSOL-SP), que o chamou de “mentiroso” e espalhador de fake news. “Você sabe que são 4.800 casos avaliados e não são latrocínios”, escreveu.

Mais tarde, durante a noite, Eduardo voltou a se manifestar. De acordo com o parlamentar, a sexta-feira (8) representou “um grande dia” para a impunidade. “O grande mal não é apenas o desarmamento, feminismo radical ou socialismo,tudo isso tem uma única raiz, que é a ideologia. Essa ideologia de esquerda cega as pessoas, tem gente comemorando q vai morrer nas mãos destes bandidos q estão saindo da cadeia”, esbravejou o ex-futuro embaixador.

Carlos Bolsonaro, o ‘Carluxo’, se manifestou em seguida. “Não tenho dúvidas que esse jogo virará! O Brasil não aceita mais o show dos bandidos do PT, PCdoB, Piçóu (PSOL) etc! Paciência e inteligência! Sei que o jogo virará rapidamente”, assinalou.

Jair Bolsonaro

Enquanto Lula era solto e a notícia dominava os veículos de comunicação nacionais e internacionais, Jair Bolsonaro preferiu evitar a imprensa. O presidente não compareceu a uma entrevista programada no final da tarde em Goiânia (GO).

Durante um evento na capital de Goiás, minutos depois da decisão do juiz federal Danilo Pereira Junior ter sido expedida, um assessor do govenro se dirigiu ao presidente, na tribuna de honra, e mostrou a tela de seu celular a Bolsonaro. O presidente ouviu em silêncio e, após alguns minutos, cochichou ao ouvido do ministro da Educação, Abraham Weintraub, que estava sentado ao seu lado.

Próximo a discursar, o presidente não tocou no assunto e, na sequência, deixou o local da solenidade, sem comparecer a entrevista de imprensa programada anteriormente. A saída de Bolsonaro surpreendeu até mesmo a sua equipe de comunicação.

Siga-nos no Instagram | Twitter | Facebook

Leia Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *