Fábio Carille faz autocrítica, diz que Corinthians não merecia G-4 e fala sobre 2020: “Faltam peças” – globoesporte.com

Técnico lamenta desempenho ruim do Timão e diz: “Eu mesmo estou me cobrando”

Coletiva de imprensa do técnico Fábio Carille após empate com o Athletico

Coletiva de imprensa do técnico Fábio Carille após empate com o Athletico

Fábio Carille, técnico do Corinthians, fez uma análise do empate de sua equipe com o Athletico-PR, na Arena, em Itaquera, nesta quarta-feira, pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro. O treinador admitiu que o Timão precisa melhorar e que o adversário foi superior.

– O adversário foi melhor do que nós. Tiveram domínio, conjunto. Ganharam a Sul-Americana no ano passado e a Copa do Brasil agora. Sabíamos das dificuldades, principalmente com as triangulações. Eu também já joguei sem camisa 9 aqui no Corinthians e lembro como eu tinha o domínio e controle da bola. Fica aqui o meu parabéns ao técnico pelo time organizado. Foram superiores – disse Carille, e seguiu, analisando a opção por Vagner Love e Boselli juntos no time:

– Eles tiveram um a mais no meio-campo. Thonny Anderson é meia que flutua. Sobrecarregou Ralf e Ramiro. Por isso, coloquei o Vital no meio. Love e Boselli juntos podem dar certo, mas é preciso um jogador de profundidade para que essa bola chegue melhor para os dois. No Equador, funcionou. Neste jogo, não. Faz parte. Vamos treinar para deixar mais entrosado – completou.

Carille admitiu ainda que faz uma autorcítica do seu trabalho:

– Eu mesmo estou me criticando. Estou me cobrando, treinando e trabalhando. Acho normal a crítica. Cria-se uma expectativa de ganhar tudo e não estamos preparados para isso. Ganhamos o Paulista jogando mais. Estamos precisando jogar mais. Melhora vem com o treino. Não teremos tempo para treinar até o jogo de domingo. O grupo sabe que precisa melhorar.

Fábio Carille, técnico do Corinthians — Foto: Marcos Ribolli

Fábio Carille, técnico do Corinthians — Foto: Marcos Ribolli

Fábio Carille, técnico do Corinthians — Foto: Marcos Ribolli

Para Carille, Corinthians não merecia estar em quarto lugar na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro:

– Pela organização do Brasileiro, acho que devemos terminar em 3º, 4º ou 5º. Mas, pelo que estamos jogando, não. Ano passado, foram 44 pontos no total com esses mesmos problemas. Eu via da Arábia. Nosso centroavante acaba sofrendo muito. É como eu sempre digo, são muitos jogadores novos trabalhando comigo. Requer tempo. Mas isso também mostra o que é necessário para o Corinthians ser mais forte. Situação do clube não é boa, queremos um jogador definidor, mas jogadores qualificados, que resolve, não são muitos. Para comprá-los, é preciso dinheiro – ponderou, e seguiu:

– Andrés (Sanchez, presidente) já falou que tentamos Gabigol, Rodriguinho, Roger Guedes… Precisamos de jogadores mais agudos. Boselli sabe terminar bem a jogada, mas nossa característica de Corinthians faz com que a bola não chegue tanto. Não conseguimos trazer jogadores para encaixar esse jogo. Infelizmente, não conseguimos buscar quem a gente queria. Não só eu, mas a diretoria sabe que precisamos buscar esse jogadores para potencializar nosso camisa 9.

Melhores momentos: Corinthians 2 x 2 Athletico-PR pela 24ª rodada do Brasileirão

Melhores momentos: Corinthians 2 x 2 Athletico-PR pela 24ª rodada do Brasileirão

E, segundo o treinador, as reuniões para tratar do planejamento para a próxima temporada já começaram a acontecer. Para Carille, neste momento, não há como pensar em título do Brasileirão.

– Muito difícil título. Impossível? Não! Mas difícil pelo que estamos jogando. Já fizemos reuniões para discutir reforços. O que eu penso, diretoria também pensa. Isso é legal para a gente caminhar para o mesmo lado. Foram contratados jogadores. Quase 90% dos contratados passaram pela minha avaliação. A gente sabe que precisamos de jogadores com ambição, que incomodem o adversário, que busquem o gol para jogar perto do nosso camisa 9 – encerrou.

Leia Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *