Humorista esculacha bolsonaristas em seu show após tentativa de censura

Humorista não se intimida com gritos e ameaças e coloca para fora grupo de Bolsonaristas que tentou censurá-lo em seu próprio show. Baderneiros ainda tiveram o dinheiro devolvido (vídeo)

humorista gustavo mendes show

O humorista Gustavo Mendes estava apresentando o seu show em Teofilo Otoni (MG) quando passou a ser interrompido de maneira grosseira por três pessoas da plateia.

Dois homens e uma mulher teriam se irritado quando o humorista falou sobre Macron e a França e teceu críticas ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) por conta da situação de calamidade na Amazônia.

“É Bolsomito! Cala a boca. Vai fazer show na África”, gritou um dos espectadores. Os incomodados diziam que “pagaram para ouvir piada” e não política e tentaram censurar o humor politizado de Gustavo Mendes, uma marca do comediante. O humorista ainda tentou continuar o show, mas as provocações não cessaram. Gustavo Mendes, então, rebateu:

“Que que é? Bolso o quê? Pode ir embora, eu devolvo o seu dinheiro. Eu tô respondendo uma crítica. Não fala todo mundo junto, não. Eu não tenho problema nenhum em expor opinião política. Quando expõe opinião política, eu ponho a minha. Entendeu? A real agora: pode levantar vocês aí, eu devolvo o dinheiro de vocês, porque eu quero vocês fora”, disse ele, que, hostilizado, também respondeu com palavrões. “Tchau, quem não quer sou eu. Vocês gritam no Facebook, aqui na minha cara não.”

Internautas repercutiram o episódio:

Em Teófilo Otoni/MG, alguns fascistas tentaram censurar o show do Gustavo Mendes.

“Vai fazer show na África!”


“Paguei para você contar piada!”

Sabe o que ele fez? Tocou todos para fora e devolveu o $$ do ingresso.

É isso: não há diálogo com imbecis. Parabéns! pic.twitter.com/ipVRsL2HWD

— PolitiQueijo (@PolitiQueijo) August 31, 2019

Estou num show do Gustavo Mendes (cover da Dilma) e um monte de bolsominion se irritou com as piadas.

O ator expulsou os indignados, que gritavam e xingavam o artista.

“A primeira vez que isso acontece comigo”, disse ele no palco.

O fascismo odeia a arte.


Que tempos, amigos!

— João Gabriel Prates (@jgprates) August 31, 2019

HAHAHAHAH deixa eu te falar uma coisa, não vá a um show de Caetano, Chico, Gil ou standup de Gustavo Mendes. Não é você que vai pautar o que eles devem ou não fazer no trabalho deles. Acha que eles não devem fazer isso? Não consuma!

— flavorstone (@fabioocardoso) August 31, 2019

Gustavo Mendes

Gustavo Mendes veio a público para se manifestar sobre o episódio ocorrido durante o seu show:

“Parte da plateia, insatisfeita com as piadas sobre Bolsonaro, se sentiu no direito de dizer o que eu posso ou não posso falar nos meus shows. E isso nunca vai acontecer, porque isso se chama censura e eu não vou aceitar essa tentativa de intimidação. Principalmente vindo de pessoas que se articularam para isso”, contou.

“Minha trajetória sempre foi de assumir posições com força e transparência, mesmo sabendo que isso incomodava muita gente. O Humor é sempre oposição. Esse é o papel do artista e principalmente o do comediante: incomodar os poderosos”, indagou o humorista.

Gustavo Mendes ainda criticou vários pontos do governo Bolsonaro. “Eu amo meu público, mesmo aqueles que votaram no Bolsonaro, mas não vou me calar diante do que está acontecendo hoje no Brasil: os milhões de desempregados continuam sem ver nenhuma medida que lhes dê esperança; nossa maior riqueza, a Amazônia, sendo devastada e um governo que incentiva o desmatamento; a promessa de acabar com a corrupção e um governo que tem seus corruptos de estimação; milhões passando fome e um governo que nega a existência da miséria. Quem não está cumprindo o que prometeu não sou eu. Onde está o Brasil melhor que foi prometido?”, questionou.

Leia Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *