Mattos promete título brasileiro no Atlético: ‘É um clube gigante que tem que ser campeão’ – Superesportes

(Foto: Pedro Souza/Atlético)
Depois do título mineiro, Mattos quer ganhar o Brasileiro com o Atlético (Foto: Pedro Souza/Atlético)

O diretor de futebol do Atlético, Alexandre Mattos, fez uma promessa ousada ao torcedor alvinegro. De acordo com o dirigente, o Galo vai ser campeão brasileiro nos próximos anos. O clube mineiro vive jejum de quase 50 anos sem levantar a taça da principal competição do país.

Em entrevista durante o lançamento de seu livro, “Tudo começa com um sonho”, Mattos afirmou que o Atlético vem trabalhando forte nos bastidores para voltar a ser campeão brasileiro. E ele afirmou que o Galo vai sair da fila na Série A.

“O Atlético precisa ser campeão brasileiro. Se não for agora, vai ter que ser ano que vem, no outro ano, vai ter que ser. Por quê? Porque é um clube gigante que tem que ser campeão brasileiro e ele vai ser”, disse.

Alexandre Mattos chegou ao Atlético em março deste ano, pouco depois da contratação de Jorge Sampaoli. Com os dois, o presidente Sérgio Sette Câmara apostou alto em busca do título brasileiro.

O diretor de futebol ajudou na contratação de nove reforços para o Galo de Sampaoli: o goleiro Everson, o lateral-direito Mariano, os zagueiros Junior Alonso e Bueno, o volante Léo Sena, o meia Alan Franco, e os atacantes Marrony, Keno e Eduardo Sasha. Além disso, o clube oficializou a compra do meia Nathan, junto ao Chelsea. Um alto investimento para o time buscar grandes títulos nos próximos anos.

No Campeonato Brasileiro, a campanha é boa. O Galo é o vice-líder, com 18 pontos em 27 disputados. O time alvinegro tem melhor aproveitamento que o líder Internacional, que soma 20 pontos, mas tem um jogo a mais na competição.

Thiago Neves

Mattos também explicou a polêmica negociação com Thiago Neves. O meia acertou bases salariais e bônus por produtividade com o clube, mas não foi contratado por causa de pressão da torcida nas redes sociais. 

“Você cria essa expectativa e você quer atender a todos os desejos. Mas aí você começa a entender o ambiente. ‘Olha, Jorge, isso aí ficou caro demais, amigo. Não dá. Jorge, isso aí criou uma repercussão que vai atingir aqui dentro. Não vai dar. Jorge, isso aí, esse caminho aí, vai interferir diretamente num jogador que você trouxe e nós não vamos querer esse conflito. Então, esse papo acontece. Especificamente nesse (caso Thiago Neves), o foco foi num desejo do treinador, numa possibilidade financeira ímpar pro Atlético, no desejo do Thiago também, que nem pensou duas vezes, que queria vir correndo, nesse desejo. Só que o entorno e mais, principalmente, a questão da integridade física, física, é que nos fez recuar”.

Leia Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *