Medalha de bronze nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, Tamas Kenderesi está impedido de sair da Coreia do Sul enquanto a policia investiga alegações de assédio sexual.

Tamas Kenderesi, o húngaro que brilhou no Rio de Janeiro, alcançando o bronze olímpico nos 200 mariposa, foi proibido de abandonar a Coreia do Sul enquanto decorrem investigações sobre um alegado caso de assédio sexual que decorreu numa discoteca da cidade que acolhe os jogos aquáticos mundiais.

O nadador foi detido, ouvido pela polícia de Gwangju Seobu e libertado mas está impedido de deixar o país durante 10 dias, confirmou um responsável da equipa de natação húngara. Kenderesi, nega todas as acusações.

A prova em que o nadador participou também não correu bem. Depois de nadar para o bronze, no Rio, em 1,53 minutos, na Coreia do Sul nunca passou dos 1,56 minutos nas elimonatórias e foi último na final dom 1,57 minutos.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de