“Pra disputar eleição, tem que ter coragem”, diz Taques ao ex-aliado Mauro Mendes

Alvo de constantes críticas do ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (DEM), o governador Pedro Taques (PSDB), adotou um discurso mais agressivo, e afirmou na manhã desta quinta-feira (14) durante entrevista ao programa Chamada Geral, da rádio Mega FM, que a pessoa tem que ter coragem para ser candidato.

Mendes foi lançado como pré-candidato ao governo pelo Democratas na segunda-feira (11), porém já afirmou que só entrará na disputa, se conseguir viabilizar financeiramente a sua candidatura. “Pra disputar eleição, tem que ter coragem, atitude. Tem que ter candidato? Tem. Mas tem que ter decisão. Desejo que tenhamos candidato. Agora, pra ser candidato, não pode ficar com medinho. E, se tem uma coisa que não tenho tempo é pra ter medo”, disse o governador.

O tucano ainda citou as criticas feitas por Mendes, que o comparou ao ex-técnico da seleção brasileira, Dunga, e afirmou que o Estado precisava trocar de comandante. “Eu sou o cidadão que mais apanhou. Eu sou incompetente, fracassado, como disse o ex-prefeito. Ele disse que tem que mudar o técnico. Veja, a empresa dele está quebrada, em recuperação judicial. Ele não pode nem escolher quem paga. Portanto, o técnico foi afastado pelo juiz. Ele é incompetente ou foi a crise?”, ironizou.

“Como pode o empresário estar em recuperação judicial e a pessoa física ser milionária? Temos que fazer essa reflexão”, provocou.

As provocações do tucano foram além. Ele lembrou que esteve ao lado de Mauro Mendes em diversas ocasiões quando o democrata comandava a prefeitura de Cuiabá e insinuou que houve diversos episódios de traição por parte do ex-aliado.

“Mauro Mendes foi meu companheiro em 2010, em 2012. Aliás, um dia antes da eleição do primeiro turno, um sábado, eu estava no bairro Doutor Fábio, comendo baguncinha com ele. Mauro Mendes não apareceu no meu programa eleitoral em 2014, porque estava mal das pernas em Cuiabá”, afirmou.

“Aliás, na eleição de 2014, ele pediu voto pro Wellington Fagundes, traindo Jaime Campos (Jaime era o candidato do grupo de Mauro ao Senado). Por isso, Jaime não foi candidato. Silval [Barbosa] foi coordenador da campanha dele em 2008 e, em 2010, ele enfrentou Silval. Em 2012, Emanuel Pinheiro foi coordenador da campanha dele e, hoje, ele é brigado com Emanuel. Então, eu desejo que tenhamos candidatos, mas para ser candidato não por ficar com medinho”, provocou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *