Prefeito recorre para não implantar lockdown em Cuiabá

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), ingressou com um agravo de instrumento no Tribunal de Justiça para suspender a implantação da quarentena coletiva obrigatória, por 15 dias. A decisão é do juiz José Luiz Leite Lindote, da Vara da Fazenda Pública de Várzea Grande, atendendo pedido do Ministério Público do Estado (MPE). 

O prefeito só recorreu na noite desta quarta-feira (24). Um dia antes, Emanuel defendeu que a decisão judicial fosse estendida para todos os municípios de Mato Grosso.

Sem resposta, Pinheiro decidiu recorrer, segundo ele, para apenas a Capital não seja penalizada, gerando um colapso econômico e social em Cuiabá e Várzea Grande.

“Como gestor da Capital, me cabe a defesa, dia e noite, da população cuiabana e vou cumprir esse papel. Isso é um aviso antecipado para um colapso econômico e social. Se é para adotar essa medida, então que se faça no estado inteiro. Dessa forma, entendemos ser um ato justo e preventivo para um vírus que está se interiorizando com um velocidade muito grande”, disse o prefeito, por meio da assessoria.

Conforme os dados da Secretaria Municipal de Saúde, diferente do mês de abril, no qual Cuiabá registrou 63% dos casos de Covid-19 de todo estado de Mato Grosso, atualmente este número é de 26%, sendo o restante de municípios do interior. “Decretar o lockdown, trancando os cuiabanos em casa e mantendo o interior aberto, continuando a superlotar nossos leitos de UTIs e nossas unidades de saúde, é uma violência contra a população cuiabana”, afirmou por meio de nota.

Leia Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *