Supremo Tribunal ordena bloqueio de contas nas redes sociais de apoiantes de Bolsonaro

O Supremo Tribunal Federal (STF) do Brasil ordenou esta sexta-feira o bloqueio das contas do Facebook e do Twitter dos apoiantes de Jair Bolsonaro, avança o jornal “Estado de São Paulo”.

Em causa está uma alegada campanha de desinformação levada a cabo por alguns membros do círculo mais próximo do Presidente brasileiro que visa atacar os juízes do STF, como a ativista de extrema direita e líder do grupo 300 do Brasil, Sara Winters, o bilionário Luciano Hang e o antigo deputado Roberto Jefferson.

A decisão foi anunciada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, que tem sido um dos alvos das ameaças diretas por parte dos apoiantes de Bolsonaro, nomeadamente Sara Winters, que o acusou de “tirania”.

“O bloqueio das suas contas nas redes sociais justifica-se face à atual propagação de notícias, acusações difamatórias, ameaças e delitos” declarou o ministro.

Entretanto, vários jornais brasileiros referem que os apoiantes do chefe de Estado brasileiro estão a recorrer a a contas alternativas nas redes sociais para comunicarem com os seus seguidores, desafiando a decisão do ministro do STF.

Também Bolsonaro tem criticado o bloqueio de várias publicações suas nas redes sociais. À semelhança de Donald Trump, o Presidente brasileiro tem atacado sobretudo o Twitter, queixando-se de publicações bloqueadas e já começou a apostar noutra rede social, chamada Parler. Uma rede onde é teoricamente mais difícil censurar discursos de ódio e tem conquistado por isso políticos conservadores e de extrema-direita.

Leia Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *