Publicidade

FÓRUM DE DESENVOLVIMENTO

Os vereadores João Paulo Picheck e Romeu Moreira foram ao estado de Minas Gerais durante essa semana. Segundo informações repassadas à coluna, o motivo da viagem é fazer contatos no estado da região sudeste com o objetivo de fortalecer as potencialidades de desenvolvimento da Capital do Café. Esses contatos seriam um desdobramento de um evento ocorrido em Cacoal no ano passado, denominado “Fórum de Desenvolvimento de Cacoal”. Naquela ocasião, um palestrante de Minas Gerais esteve em Cacoal e os comentários sobre a palestra feita por ele foram muito positivos.  Sendo assim, esperamos que os vereadores tenham trazido boas informações na bagagem, porque Cacoal precisa encontrar o caminho do desenvolvimento outra vez.

AGRICULTURA FAMILIAR

Aliás, há diversos fatos que mostram claramente os efeitos de que Cacoal não teve um bom desempenho no crescimento, nesses últimos anos. Em conversa com a equipe da coluna, um produtor rural do município chamou a atenção para uma situação que deve ser avaliada com muita atenção pelas autoridades e pela população. Segundo ele, cerca de cinco ou seis anos atrás, Cacoal contava com mais de 40 empreendimentos da agricultura familiar e atualmente tem apenas dois ou três. Eram granjas, fábricas de sorvete, de iogurte, de queijo, de produção de frangos, hortaliças e diversas outras pequenas indústrias da agricultura familiar que davam significativa contribuição à economia do município. Na opinião deste produtor, o motivo do fechamento dessas atividades é a falta de apoio e incentivo de instituições como IDARON, SEDAM, EMATER e outros órgãos estaduais. Além disso, diz ele, o município também deixa muito a desejar e os pequenos e médios produtores de Cacoal encontram-se em situação de abandono atualmente.

MEIO AMBIENTE

O vereador Valdomiro Corá tem demonstrado muita insatisfação com a Secretaria de Meio Ambiente de Cacoal. Nas últimas semanas, Corazinho tem usado a tribuna da Câmara de Cacoal para fazer duras críticas à secretaria e ao secretário Sandro Coelho. Segundo o vereador, entre os problemas está o total abandono do cemitério da Linha 06 e falta de ações da secretaria em diversos outros setores. Valdomiro Corá exibiu diversas fotos do cemitério  feitas por ele e disse que o abandono é muito grande. Claro que após as denúncias do vereador a situação pode ter sido resolvida. Então, vamos confirmar e informaremos aos nossos leitores na próxima edição. Caso o secretário queira enviar a manifestação da secretaria, também publicaremos na primeira oportunidade.

RECLAMAÇÃO SINDICAL

Na semana passada, a coluna divulgou que diversos professores da rede municipal de Cacoal estão completamente insatisfeitos com a atuação do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Cacoal (SINSEMUC). O motivo da insatisfação seria a forma como a diretoria do sindicato negociou com a administração municipal a questão relacionada com o Piso Salarial dos professores. Na negociação, o sindicato sugeriu cinco ou seis nomes de pessoas que fizeram parte de uma comissão que abriu mão dos valores retroativos. Este fato, para muitos professores, representa um prejuízo para a categoria. Por sua vez, o presidente do SINSEMUC comenta nos bastidores que é defensor da categoria, embora ele nunca tenha se manifestado publicamente sobre o assunto. Vários professores municipais alegam que o presidente do SINSEMUC tem atuado muito mais em defesa dos interesses do prefeito. Esses professores alegam que,  após as eleições municipais de 2020, o presidente do SINSEMUC filiou a um partido político da base de apoio ao prefeito justamente para dar sustentação à administração do prefeito Adailton Fúria.

FALTA DE ÁGUA

O período da seca no estado de Rondônia começa neste mês de abril. Este fato tem causado muita preocupação aos moradores de diversos bairros de Cacoal, porque eles temem a falta de água. Mesmo no período chuvoso, vários bairros têm sido afetados pelo problema. Na gestão atual, o SAAE, autarquia de água do município, alugou uma frota de veículos e anunciou que novos investimentos seriam feitos para melhorar os serviços. Entretanto, até este momento, os resultados não apareceram e existem muitas reclamações de diversos bairros de Cacoal. É importante ressaltar que o SAAE possui um quadro de servidores muito dedicados e a culpa pelos problemas não pode ser atribuída a eles.

CHUVA DE CANDIDATOS

A partir do próximo ano, é possível que Cacoal consiga obter mais recursos para investir em projetos e programas no município. Isso porque este ano teremos uma quantidade recorde de candidatos a deputados federais e estaduais pelo município. Pela última atualização de dados sobre os bastidores políticos de Cacoal, constatamos que há cerca de 15 pré-candidatos a deputados federais, uns 20 nomes para estaduais e quatro pré-candidatos ao Senado Federal. Então, a possibilidade de termos vários representantes de Cacoal eleitos em outubro é muito grande. Além disso, diversos pré-candidatos de outros municípios tem visitado a Capital do Café para anunciar que esta é a cidade que eles mais amam em Rondônia. Alguns desses visitantes possuem mandatos atualmente, mas estavam sumidos desde que foram eleitos em 2018. Aproveitando, seria ótimo que os representantes de deputados estaduais, deputados federais e de senadores, ou eles mesmo,  mostrem para o povo de Cacoal, a atuação de cada um em defesa do município, afinal, logo, logo estarão mostrando suas carinhas quando estarão em busca de votos da nossa terrinha. É simples! Mostrem o que cada um fez por Cacoal, para que cada cidadão que já apoiou, tenha uma forma de analisar se ainda merece o seu voto!!!

OBRAS ABANDONADAS

Uma prova clara da falta de bons representantes para Cacoal é que existem várias obras paradas no município e ninguém sabe informar quando serão retomadas. Entre essas obras estão o Hospital Municipal, o conjunto residencial Vale Verde , a Vila Olímpica e mais recentemente a obra das pontes do rio Pirarara. Vários políticos municipais, estaduais e federais fazem discursos bonitos sobre o assunto, mas a realidade é desanimadora. Caso as obras não sejam retomadas agora neste verão, é possível que elas tenham um destino parecido com a obra do Hospital Regional de Cacoal, que levou cerca de 20 anos para ser concluída.

RECURSOS INVISÍVEIS

O problema é que diversos políticos usam os palanques, os veículos de imprensa e as redes sociais para anunciar 10, 20, 30, 40 ou 50 milhões de reais para obras e reformas no município. Lamentavelmente, porém, esses volumosos recursos não aparecem e nenhuma obra de construção ou reforma é vista na cidade. Muitos eleitores chegam a comentar que fulano ou cicrano “trouxe” muitos recursos, mas esses recursos parecem invisíveis. Nessa história, estão os políticos que anunciam os recursos e o prefeito dizendo que não recebe. Na prática, o que se vê de concreto é uma máquina sendo entregue aqui, outra ali, compradas com recursos que muitas vezes foram conseguidos por pessoas que nem estão mais no mandato e anunciados como grandes feitos. Isso é pouco para uma cidade da importância de Cacoal.

REFORMA DA RODOVIÁRIA

Para citar mais um exemplo bem conhecido, a rodoviária de Cacoal encontram-se em situação de calamidade. Nas últimas cinco ou seis eleições, a reforma da rodoviária foi anunciada mais de 10 vezes. Nunca aconteceu! Como este ano haverá eleições, com certeza, as pessoas que trabalham na rodoviária ou utilizam para viajar vão ouvir muitas promessas. Resta saber se o eleitor está disposto a votar nos políticos que falam da reforma apenas em período eleitoral. Talvez os eleitores de Cacoal já nem lembram quantos políticos foram eleitos prometendo a reforma da rodoviária.

Read More

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.