Publicidade

Sabe-se há 30 anos que não há proposta de Bolsonaro para o Brasil que não namore a morte. Desde “matar uns 30 mil” até autorizar polícia a chacinar pobre sem satisfação nem luto: seu repertório se bastava nisso. Deus e “kit gay” vieram depois, quando atinou virar presidente e abraçou comerciantes da religião. Encontrou um Deus com sanha arrecadatória.
Leia mais (08/03/2022 – 19h52)
source

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.