Publicidade

Estado de Minas MODA

Dois looks da marca Tufi Duek que abusam do colorido: para celebrar a vida(foto: Divulgação)
Dois looks da marca Tufi Duek que abusam do colorido: para celebrar a vida (foto: Divulgação)

A gente não quer só comida / A gente quer comida, diversão e arte. Os versos da famosa música do Titãs, banda de rock nascida em São Paulo, nos idos dos anos 1980, reflete bem o desejo de liberdade que eclodiu no peito de uma multidão de pessoas ao redor do mundo em meio ao caos pandêmico. Liberdade de ser, estar, fazer e de se movimentar. E nada melhor do que usar e abusar das tendências da moda para se reinventar. É neste cenário que ressurge o chamado dopamine dressing, um legítimo ato de resistência. "A moda tem muito a ver com atitude e o dopamine é uma tendência que nos chama a sair do comodismo, a fugir do padrão", diz a jornalista Heloisa Aline, especialista em moda.

A diretora de estilo Paolinha Murta:
A diretora de estilo Paolinha Murta: “Muito mais que uma tendência, o dopamine dressing está se tornando um estilo de vida, que nos mostra que não precisamos seguir regras e padrões pré estabelecidos na hora de nos vestir” (foto: Márcio Rodrigues/Divulgação)

O convite agora é para deixar a normalidade de lado e se esbaldar em uma dose de dopamina  (neurotransmissor, responsável por provocar sensações de prazer e felicidade), se permitindo fazer até as combinações mais impensáveis. Isso porque as coleções mais recentes das grandes marcas trazem looks pra lá de coloridos, cheios de brilho, estampas e muita ousadia. Já no final de 2021, as peças brilhantes, que remetem à disco music da década de 1980, se tornaram as queridinhas das fashionistas. Os especialistas garantem que o estilo, um tanto quanto "chocante" à primeira vista, é contagiante, democrático e libertador. "Já foi comprovado que cada cor tem um significado e influência diretamente em nossa energia, vibração e bom humor", diz a personal stylist e consultora de moda Marta Duque.

Para a personal stylist e consultora de moda Marta Duque, o estilo, que pode parecer um tanto
Para a personal stylist e consultora de moda Marta Duque, o estilo, que pode parecer um tanto “chocante” à primeira vista, é contagiante, democrático e libertador: “Não existe certo ou errado. Assim fica mais fácil fazer suas próprias combinações” (foto: Divulgação)

A sensação de poder celebrar a vida é explícita em looks que associam, por exemplo, um casaco lilás a uma calça verde limão e um sapato rosa choque. Ou ainda, um casaco de paetês azul bebê aliado a uma sandália amarela, usado em plena luz do dia. Se para você isso é coisa de gente doida ou de mau gosto, talvez seja a hora de rever alguns conceitos e se jogar na pista. "A tendência das cores saturadas está ganhando cada vez mais espaço nas semanas de moda internacionais e no dia a dia. Por isso, devem passar um bom tempo fazendo parte do nosso estilo de vida", diz a diretora de estilo Paolinha Murta.

A especialista vai ainda mais longe. O dopamine dressing, diz ela,  cai bem tanto para homens quanto para mulheres. Para usar, basta se sentir bem. "Muito mais que uma tendência, está se tornando um estilo de vida que nos mostra que não precisamos seguir regras e padrões pré estabelecidos na hora de nos vestir."  Tem medo de arriscar? A dica é pesquisar sobre o círculo cromático para entender um pouco mais sobre as cores análogas e complementares. As primeiras possuem semelhanças de tom, nuance e contrastes, seguindo a linha da tendência color block, com produções mais monocromáticas. Já as outras não possuem semelhança entre si, a exemplo do vermelho e verde. "Assim fica mais fácil fazer suas próprias combinações. No dopamine, não existe certo ou errado", revela Marta Duque. O que importa é ser feliz.

source

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui