Publicidade

Na próxima terça-feira, 26 de abril, é celebrado o Dia Nacional da Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial, de acordo com o calendário nacional da Saúde Pública. A data busca conscientizar a sociedade brasileira sobre esse enorme problema de saúde pública, uma doença que acomete mais de 30% da população adulta no Brasil e no mundo, de acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Para alertar sobre a prevenção à saúde relacionada à hipertensão arterial, a Secretaria Municipal de Saúde de Várzea Grande, em parceria com as equipes da Estratégia de Saúde da Família (ESF), realizam no dia 26 de abril uma ação na Unidade de Saúde do bairro Água Vermelha, a partir das 7h30.

Dentre as ações programadas para o evento haverá atividades interativas envolvendo práticas corporais, dinâmicas sobre alimentação saudável, aferição de pressão e teste de glicemia, orientações gerais com a equipe multiprofissional envolvendo todo o público presente morador da comunidade do bairro Água Vermelha que já realiza tratamento de hipertensão e aos que quiserem comparecer para fazer exames e testes, de forma espontânea.

O Superintendente de Atenção Primária à Saúde de Várzea Grande, Geovane Renfro, esclarece que o Programa Hiperdia do Ministério da Saúde é desenvolvido pela Secretaria de Saúde de Várzea Grande em todas as unidades básicas de saúde. “Nós cadastramos e acompanhamos todos os pacientes hipertensos e diabéticos, moradores próximos às instalações das unidades e entorno, para fazer um controle mais rigoroso destas doenças e garantir uma melhor qualidade de vida aos pacientes e moradores da cidade”, explicou.

Geovane Renfro pontua que neste mês de abril, todas as Unidades Básicas de Saúde de Várzea Grande, se dedicarão ao combate à hipertensão com a realização de testes de glicemia, aferição de pressão, orientações quanto ao acompanhamento medicamentoso, a todos os pacientes que chegam às unidades, a fim de estabelecer vínculos, principalmente com o público adulto, a ter o costume de aferir a pressão, cuidar da alimentação, e principalmente, seguir as orientações para evitar as causas da hipertensão.

“Muito pode ser feito pelo próprio paciente para prevenir ou controlar esse inimigo invisível e perigoso. Uma das medidas mais úteis e efetivas é utilizar o mínimo de sal no preparo dos alimentos, o que é difícil, mas não impossível. O brasileiro consome cerca de 10 gramas de sal ao dia, ou seja, o dobro do recomendado pelos especialistas. Evitar alimentos embutidos é muito importante a exemplo de salsichas, salames, presunto, linguiça, rosbife, hambúrguer, etc; molhos prontos como shoyu, ketchup, mostarda, maionese, entre outros; carnes salgadas como o bacalhau, o charque, a carne seca e defumados; alimentos gordurosos; frituras em imersão; o consumo excessivo de bebidas alcoólicas e o hábito de fumar”, citou o superintendente.

A técnica responsável pelo Programa Hiperdia, Amanda Cristiane de Oliveira Rosa, explica que a pressão alta raramente manifesta sintomas. Geralmente, quando ocorre, é porque está alta demais ou subiu abruptamente, podendo até ameaçar a vida. Ela alerta que as doenças cardiovasculares, como infarto, insuficiência cardíaca, derrame cerebral ou acidente vascular cerebral, entupimento das artérias ou doença arterial obstrutiva crônica, podem surgir ou se agravar em decorrência da pressão arterial.

“Nos rins, a pressão alta faz com que eles diminuam de tamanho. O doente pode chegar a precisar de diálise ou de transplante para viver. Então, sabendo destas consequências, uma boa dica é que não se pode esperar que a pressão alta dê sintomas ou sinais para tratá-la, porque poderá ser tarde demais para evitar os estragos. Os sintomas devem ser observados, como cansaço, tonturas e sangramento pelo nariz. A pressão alta não tem cura, mas seu controle melhora muito a qualidade de vida do paciente. Entretanto, atitudes como medir a pressão arterial regularmente, adotar uma alimentação saudável, reduzir o consumo de sal, manter um peso ideal, evitar o consumo de bebidas alcoólicas em excesso, praticar atividade física regularmente, não fumar e diminuir o estresse, são alguns dos cuidados necessários”, adverte a Técnica em Saúde.

Amanda Cristiane de Oliveira Rosa também orienta que uma vez que hipertensão ou pressão alta não possuem sintomas iniciais, a melhor maneira de descobrir é aferindo a pressão com regularidade. “A hipertensão ocorre quando a pressão arterial está acima do limite normal. Considera-se que uma pessoa é hipertensa se os níveis da pressão arterial forem iguais ou superiores a 14 por 9. Nos casos de hipertensão leve, mudanças no estilo de vida – emagrecer e praticar atividades físicas, podem contornar o problema. Caso a pressão arterial atinja valores acima de 14 por 9, significa que a pessoa está com a pressão alta. Se a hipertensão não for controlada e acompanhada por médicos, pode comprometer o bom funcionamento de órgãos, causar o Acidente Vascular Cerebral, conhecido por AVC, e o infarto no miocárdio”, disse.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.