Publicidade
Só na França, fogo atingiu 13 mil hectares de reservas florestais devido ao tempo seco

Só na França, fogo atingiu 13 mil hectares de reservas florestais devido ao tempo seco

Thibaud Moritz/AFP – 17.07.2022

As últimas semanas têm sido marcadas por enormes incêndios florestais na Europa. A região tem registrado altas temperaturas em diversos países, com o calor extremamente elevado. Segundo as autoridades locais, o fogo atingiu 13 mil hectares de reservas florestais somente na França. A crise vivida lá desperta uma preocupação para queimadas, também no estado de São Paulo, principalmente porque agora é o período de estiagem, marcado pelo tempo seco e baixa umidade relativa do ar.

De acordo com a Defesa Civil, somente em 2021 as autoridades ligadas à Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente registraram 5.025 focos de incêndio no estado. Para prevenir e combater as queimadas florestais é realizada anualmente a Operação Estiagem.

A edição deste ano começou no dia 1° de junho e vai até 30 de setembro, acompanhando a fase vermelha (mais crítica) da Operação Corta-Fogo.

Os incêndios florestais são considerados uma das maiores ameaças à biodiversidade e conservação ambiental, causam morte de animais silvestres, prejudicam a vegetação, aumentam a poluição do ar, diminuem a fertilidade do solo e podem fazer com que haja a interrupção do fornecimento de energia elétrica.

Estudos apontam que a maior parte dos incêndios florestais é decorrente de ação antrópica – causados pelo homem, de maneira acidental ou intencional -, entre elas, além das queimadas para fins agrícolas, queima de lixo, fogueiras, bitucas de cigarro e soltura de balões.

Além das operações que têm como objetivo prevenir esses focos de incêndio, a Defesa Civil também realiza as Oficinas Preparatórias, voltadas para o treinamento e capacitação dos agentes municipais. Neste ano, 1.500 agentes foram capacitados, em 333 cidades do estado.

Nova ferramenta de monitoramento para queimadas

O órgão vem testando uma nova ferramenta de monitoramento, capaz de identificar, em tempo real, áreas de queimadas em todo o território do estado. Esta nova tecnologia também emite alertas com as áreas que possuam maior probabilidade às queimadas, classificando-as em alerta, alto ou baixo risco à queimada.

O sistema utiliza dados e imagens de quatro satélites diferentes, a inteligência artificial cruza os dados e exibe aos operadores do sistema os docos de incêndio captados pelos equipamentos. Para mapear as áreas com maior risco a incêndios, o sistema utiliza diversas variáveis, como por exemplo: umidade do ar, temperatura, acumulado de chuvas e previsão para próximos dias, vento e radiação solar.

Com esse cálculo é possível estimar o risco dos próximos cincos dias, permitindo a adoção de medidas preventivas antecipadas para a prevenção às queimadas.

A tecnologia permitiu que o Corpo de Bombeiros agisse com efetividade no último dia 21, nas cidades de Campinas e Santa Bárbara d’Oeste. O primeiro foco atingiu uma área de plantação rural e o outro uma mata. Ambos foram combatidos e extintos logo no início.

source

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.