Publicidade

Marcelo Rebelo de Sousa, considerou hoje que seria uma “precipitação” e um “facilitismo” reduzir o nível de alerta vulcânico em São Jorge, que se encontra em V4, o que significa ameaça de erupção.





“Baixar o nível de alerta de V4 para [V]3 seria uma precipitação. Seria um facilitismo. Não que não houvesse sinais que convidassem alguns a defender isso. Havia, mesmo especialistas. Mas, na ponderação, [entendeu-se] que era um mau sinal dado para a opinião pública”, declarou o Presidente da República.





O chefe de Estado falava hoje aos jornalistas nas Velas, em São Jorge, após o ‘briefing’ diário de atualização da crise sismovulcânica na ilha açoriana.





Para Marcelo Rebelo de Sousa, reduzir o nível de alerta seria “dizer à opinião pública que o problema estava resolvido”.


A ilha mantém o nível de alerta vulcânico V4 (ameaça de erupção) de um total de sete, em que V0 significa “estado de repouso” e V6 “erupção em curso”.


Marcelo Rebelo de Sousa destacou que existe uma “monitorização que tem vindo a melhorar no tempo”, que permite “ter mais dados para acompanhar a situação” sismovulcânica.

“A última avaliação que está disponível mostra que nos últimos dias existiu uma subida de frequência, não comparável com as fases críticas do início, e uma redução clara na intensidade [dos sismos]”, afirmou.


Acompanhado pelo ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, o Presidente da República reforçou que existe uma “capacidade instalada” que permite dar “resposta a todos os cenários”, acrescentando que essa capacidade pode ainda ser reforçada quer através de meios regionais, quer nacionais.


Marcelo Rebelo de Sousa insistiu em que, “face à capacidade de resposta”, existem “sinais para ter confiança” e apelou à “normalidade”.


“Há que ter a posição que ontem [sexta-feira] defendi: confiança com sentido de responsabilidade. Saber que a realidade tem de ser acompanhada, monitorizada e ter a resposta à altura. Não é dizer que o problema está resolvido e vamos todos para casa”, declarou.


O Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA) registou na ilha de São Jorge um sismo sentido desde as 22:00 (mais uma hora em Lisboa) de sexta-feira até às 10:00 de hoje. 


De acordo com o comunicado diário do CIVISA, até ao momento foram identificados 246 sismos sentidos pela população.


O sismo sentido esta noite foi registado às 01:28, com magnitude de 1,6 na escala de Richter, tendo epicentro a um quilómetro das Velas, e foi sentido com o grau III na escala de Mercalli Modificada em Santo Amaro.


A atividade sísmica que tem vindo a registar-se desde as 16:05 do dia 19 de março na ilha de São Jorge, ao longo de uma faixa desde a Ponta dos Rosais até à zona do Norte Pequeno, na Silveira, “continua acima do normal”.


O sismo mais energético ocorreu no dia 29 de março, às 21:56, e teve magnitude de 3,8 na escala de Richter.


Read More

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.