Publicidade

Música cristã cresce na pandemia e estoura a bolha com a ajuda de nomes como Wesley Safadão e Luciano Camargo
Após mais de dez meses de isolamento social, Splash te convida para um mergulho no universo gospel. Com músicas que falam de fé e esperança, o gênero viu seu público, já fiel, crescer ainda mais do ano passado até agora, contando ainda com uma ajudinha extra de artistas consagrados que também encontraram conforto nesse universo. Nomes como Wesley Safadão, Luciano Camargo (da dupla com Zezé) e até Ludmilla investem nesse filão, ajudando a atrair novos ouvintes.
A gente tem repaginado a nossa mensagem. As coisas mudam muito rápido e, para falar de forma mais contemporânea, temos que dialogar com os problemas do mundo de hoje. Isso fez com que a nossa música deixasse de ter uma mensagem lúdica, sobre espiritualidade, para retratar a realidade e o cotidiano. E tem dado um grande retorno.
Clovis, cantor e compositor
Clovis Pinho, autor de “Ninguém Explica Deus”, a música gospel brasileira mais reproduzida do YouTube Brasil, com 539 milhões de visualizações, deu uma repaginada em sua carreira em 2020.
O cantor e compositor deixou o grupo Preto no Branco em maio. Em setembro, entrou como artista solo para a Som Livre, e passou a assinar apenas Clovis. Na nova fase, surgiu a música “Me Ensina a Viver”.
O clipe da música já ultrapassou a marca de 1 milhão de views e traz uma roupagem mais sofisticada, não deixando nada a desejar para artistas internacionais em quem ele diz se inspirar, como Kanye West e Justin Bieber. No dia em que conversou com Splash, o cantor gospel estava explorando o som da adolescente Billie Eilish, a mais premiada do Grammy 2020.
Segundo a Associação das Empresas e Profissionais Evangélicos (Abrepe), a estimativa é que a música gospel seja responsável por 20% do mercado fonográfico brasileiro, gerando R$ 2 bilhões por ano em vendas. Dados da mesma pesquisa, publicada em 2018, mostram que o Brasil é o segundo maior mercado cristão do mundo, perdendo apenas para os Estados Unidos.
E se o gospel cresceu ainda mais em 2020, a tendência segue positiva para 2021. Dados da Deezer mostram que, nos primeiros meses da pandemia, o número de streaming em playlists de conteúdo cristão deram uma guinada.
Considerando as três maiores playlists do serviço de streaming de música —Top 50 Gospel, Top Hits Gospel e Ambiente de Adoração—- elas cresceram juntas mais 10,4% em número de streams e 7,4% em número de ouvintes únicos de maio até junho. Top 50 Gospel se manteve no top 10 dentre todas as playlists editoriais ouvidas no mês, dentre todos os gêneros, e Ambiente de Adoração cresceu 10 posições, ficando em 12ª.
No serviço de streaming francês, o canal gospel está no top 3 dos canais mais ouvidos atualmente. Enquanto as playlists sertanejas têm, em média, 35 minutos de audição após o play, as de música cristã chegam a 54 minutos no Brasil. Ou seja: quem escuta playlists gospel, escuta 54% mais tempo do que outros gêneros.
O público cristão tem uma reação diferente no streaming em relação ao secular. O secular consome de forma muito impulsiva. Ele ouve de tudo e demais. O cristão é mais focado no catálogo. Ele ouve uma discografia inteira, por isso o tempo de consumo é maior. Temos uma média de quase uma hora do usuário ouvindo música cristã.
Lincoln Baena, editor de gospel da Deezer
O Casa Worship, que estourou em 2019 com a música “A Casa É Sua”, é um bom exemplo. O louvor quebrou barreiras do ambiente evangélico e fez o grupo ser ouvido por um público de outras religiões, como a católica, e até quem não frequenta a igreja. Os cantores Léo Brandão e Julliany Souza celebram a conquista.
O propósito de Jesus para a nossa vida não é só ficar dentro da igreja. É levar uma mensagem para todo mundo. Quando Jesus disse ‘ide e pregai o evangelho a toda criatura’ ele não falou que era só para os evangélicos ou só para determinada religião. Era para todos. Porque a mensagem do evangelho é só uma: amor. Léo Brandão, cantor do Casa Worship
Acompanhando esse fenômeno, refletido nos números, desde o início da pandemia, a Deezer resolveu ousar e aproximar os públicos. A plataforma reuniu Clovis, Casa Worship e Wesley Safadão em um projeto chamado Conexão Gospel. A parceria entre os artistas, lançada no último dia 5, é a música “Deus Tem Um Plano”. A letra tem ligação com o que rolou nos últimos meses não só no Brasil, mas no mundo.
É hora de cuidar de perto da tua família / É hora de esquecer as mágoas, perdoar as brigas / Nessas horas somos todos tão iguais / E juntos nós podemos ser bem mais Trecho da música “Deus Tem Um Plano”
Amigo de Wesley Safadão, Renno Poeta é o autor da música escolhida, que chegou a ser cantada em lives do cearense ao longo da quarentena. A ideia inicial era regravar “A Casa É Sua”, já que Thyane Dantas, esposa do cantor, é fã do grupo e o casal ouvia bastante a faixa em casa. Mas a mensagem de “Deus Tem Um Plano” tocou os três artistas envolvidos no projeto.
A escolha de Wesley Safadão, único artista não-gospel do projeto, não foi aleatória. O batismo no rio Jordão e a exposição de sua fé nas redes sociais traz uma forte conexão do artista, que é cristão praticante, com o público gospel, que também consome suas músicas, explica o editor da Deezer.
Percebemos que a mensagem cristã estava muito além do nosso quintal. Vimos Wesley Safadão se batizando no rio Jordão, se apegando a fé, e falando de Deus. Vimos Marília Mendonça pegando o violão e cantando Anderson Freire, Solange Almeida cantando Aline Barros, Joelma chamando a pastora Ludmila para cantar no seu DVD, Xanddy do Harmonia do Samba cantando Clovis. Lincoln Baena
Safadão reforça sua conexão com Deus, que ele diz ter amplificado “nos últimos seis, sete anos”.
“Quem está próximo a mim sabe que minhas prioridades são Deus, família, trabalho e cuidado com as amizades e influências. Tudo isso faz parte desse contexto. O Safadão está ali para cantar, trabalhar, se divertir, mas a minha vida pessoal é uma busca diária por Deus, cuidar da minha família e estar próximo de pessoas boas e que tenham o mesmo objetivo.”
Do outro lado, os artistas que se abrem também só têm a ganhar com um público que talvez jamais tivesse contato com a sua mensagem de fé e esperança, independentemente do gênero musical.
É a oportunidade que a gente tem de levar esse amor para outras pessoas. Um público diferente do nosso que sabemos que é carente desse amor. O mundo precisa do amor de Jesus, que é genuíno, fora das paredes da religião.
Léo Brandão, Casa Worship
A tendência é só melhorar a forma de comunicar, falar para as pessoas da importância de não desistir da vida e continuar acreditando apesar dos dias maus. Precisamos acreditar no ser humano e em Deus.
Clovis
Safadão não é o único que mergulhou no gospel. Luciano Camargo, que se lançou solo com músicas próprias dedicadas ao gospel e até fez especial de louvores na Record no final do ano passado, é outro exemplo.
“Todo mundo está elogiando, as rádios já me procuraram para tocar a música. Não sei onde vai chegar, mas estou entregando algo grandioso. Chega a assustar a proporção que tudo tomou”, contou Luciano em outubro, quando lançou o projeto “A Ti Entrego”, em uma entrevista a Splash.
Quase quatro meses depois, o cantor sertanejo confessa que continua assustado com repercussão de sua nova fase.
Luciano abriu 2021 lançando “Haja Luz”, terceira faixa de “A Ti Entrego”, que terá 15 músicas no total. “O princípio desse projeto era lançar no digital, atender um pedido da minha mãe, um sonho meu, e agradar a Deus com a minha voz que foi o melhor que ele colocou em mim”, confessa o cantor, que testemunhou o poder da fé, ainda mais em um momento de pandemia.
Eu me converti há 17 anos. O louvor faz parte da minha vida. Já me agarrei a louvores em momentos felizes e momentos tristes. O louvor tem esse poder de fazer com que você encare e entenda melhor tanto as dificuldades quanto as glórias da sua vida.
O objetivo dele, no entanto, é que seu público consuma as músicas em momentos positivos, de fé e alegria.
“Ouço louvor lavando a louça, em casa, viajando… Quando vou de um hotel para um show, vou escutando louvores. Agradeço a Deus porque na maioria dos momentos o louvor chega a mim em momentos de alegria. Espero que minhas músicas cheguem também na maioria das pessoas em um momento de alegria e muita fé.”
O poder da vitória vai curar a dor. O temporal agora vai cair em mim. A chuva da vitória vai reinar no fim. E quem caiu vai levantar e a gente vai vencer. Sofrimento acabar e o amor vai crescer. Inimigos vão cair ao som desse trovão. Levanta a mão pro alto e sente o rajadão
Trecho de 'Rajadão', música de Pabllo Vittar
No pop e no funk, o cenário se repete. Um dos maiores sucessos do 2020 de Pabllo Vittar, “Rajadão”, acabou associada à música “500 Graus”, da cantora Cassiane, que é pastora da igreja Assembleia de Deus. Priscilla Alcântara, a princesa pop do gospel, levantou a bola e disse que apresentaria o hino da drag queen à estrela evangélica.
Rodrigo Gorky, produtor musical de Pabllo, confirma que a música surgiu mesmo com inspiração no gospel, estilo que a cantora ouvia desde a infância.
Ludmilla também gravou uma música gospel, apesar de afirmar que não tem a pretensão de largar o funk para se dedicar totalmente a esse universo. A divulgação, porém, é inegável.
Já Joelma, cantora conhecida pela dança e por espalhar o ritmo calipso pelo Brasil, também faz questão de, em todos os seus trabalhos, incluir pelo menos um louvor. Nas diversas lives que a artista promoveu no ano passado, ela também incluiu momentos de fé e adoração.
Até o festival VillaMix, fortemente ligado ao universo sertanejo, o ritmo que domina disparado o streaming no Brasil, promoveu uma live gospel durante a pandemia.
Publicado em 28 de janeiro de 2021.
Arte: Mathias Pape; Edição: Liv Brandão; Reportagem: Renata Nogueira;

source

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.