Publicidade

19 abril 2022 22:58

Há quase 6,5 milhões de deslocados internos na Ucrânia. Odessa tem concentrado um grande número de pessoas, já que é relativamente fácil fugir se a guerra avançar. É também a cidade grande mais perto de zonas como Kherson ou Mikolaiv, a primeira já controlada pelos russos, a segunda alvo constante de bombardeamentos

rui duarte silva

Nas aldeias à volta de Mikolaiv e na cidade de Odessa concentram-se muitos dos refugiados internos que deixaram as zonas ocupadas do sul da Ucrânia, mas não querem sair do país. Histórias de fugas perigosas, inesperadas, com tudo para correr mal misturam-se com as de quem arrisca a vida para ir levar comida e trazer pessoas, e com as de quem já não pode voltar, por ter o nome na base de dados dos russos

19 abril 2022 22:58

Há uma palavra afixada em quase todos os carros que passam na direção de Mikolaiv: “crianças”. Folhas de papel coladas nos cantos superiores do vidro da frente, outras vezes a palavra pintada a spray nas portas laterais. À porta da Igreja Baptista de Bashtanka está uma carrinha com uma folha A4 colada aos vidros das portas de trás, onde se lê a mesma indicação. Dos puxadores das portas agitam-se ao vento pedaços de tecido branco, pendem do espelho retrovisor, dos espelhos laterais e enrolam-se na antena. Querem dizer “vimos em paz, somos civis”.

Artigo Exclusivo para assinantes

No Expresso valorizamos o jornalismo livre e independente

Já é assinante? Assine e continue a ler

Comprou o Expresso?

Insira o código presente na Revista E para continuar a ler

Read More

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.