Publicidade

O autor de uma série de furtos em casas comerciais situadas na avenida da Fev, em Várzea Grande, foi preso pela Polícia Civil, em ação da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf), na terça-feira (26.04), para cumprimento de mandado de prisão.

Reincidente em furtos e roubos, com 17 registros criminais e seis condenações, o investigado de 38 anos praticou de forma continuada, pelo menos, quatro furtos a estabelecimentos, causando um prejuízo de aproximadamente R$ 20 mil para as vítimas.

Conforme investigação da Derf de Várzea Grande, no dia 08 de abril, o suspeito pulou o muro, quebrou o vidro de uma janela e invadiu uma escola que fica na Rua Miguel Leite, na região central da cidade, de onde furtou onze torneiras e uma bicicleta.

Dez dias depois, em 18 de abril, ele escalou o muro e invadiu uma empresa de equipamentos motores na Avenida da FEB, de onde furtou 36 metros de cabo de energia, totalizando prejuízo de mais de R$ 1,4 mil.

Na madrugada de sexta-feira (22.04), o criminoso escalou o muro, cortou a cerca elétrica e entrou em uma loja de automóveis, furtando aparelhos de notebook, celular, som automotivo, carregador para bateria de automóvel, diversos certificados de registros de veículos, caixa de ferramentas e uma bicicleta. O crime gerou prejuízo avaliado em mais de R$ 10 mil.

No mesmo dia, ele novamente furtou a empresa de equipamentos motores, quando quebrou a janela do banheiro, entrou no prédio e arrombou a fechadura do caixa e levou a quantia de quase R$ 1,4 mil em dinheiro.

Insistindo nos crimes, na segunda-feira (25), ele escalou o muro do imóvel vizinho, arrombou o telhado da mesma empresa de equipamentos motores e levou uma caixa de ferramentas avaliada em R$ 1, 2 mil.

De acordo com a delegada responsável pelas investigações, Elaine Fernandes da Silva, a empresa de equipamentos motores afirmou ter sofrido um prejuízo de R$ 7 mil em decorrência dos furtos. Outra vítima relatou a indignação de saber que mesmo tendo praticado tantos delitos, o criminoso continua em liberdade.

A delegada explica que com a extensa ficha criminal, o investigado foi preso anteriormente, e colocado em liberdade mediante o uso de tornozeleira eletrônica. Porém, dias depois, quebrou o dispositivo e jogou no Rio Cuiabá, passando a viver perambulando pelos bairros de Várzea Grande.

Durante as diligências, os policiais civis identificaram, por meio de câmeras do circuito interno, o suspeito surfando sobre o teto de um dos veículos da concessionária. Nos crimes, ele costumava tirar a camisa e enrolar na cabeça. No entanto, as tatuagens ficavam aparentes.

Diante das evidências de autoria, a Derf de Várzea Grande comunicou ao juízo da Vara de Execução Penal de Cuiabá sobre as práticas contínuas do indiciado. Foi decretada então a regressão de regime e o juízo expediu a ordem de prisão preventiva.

“Como o suspeito é usuário de drogas e morador de rua, o fato de não possuir paradeiro fixo dificultava a sua prisão em flagrante. Porém, o comprometimento e empenho da equipe de investigadores garantiu o cumprimento do mandado judicial”, destacou a delegada.

Para a delegada Elaine Fernandes, o crime de furto não pode ser considerado um delito de menor lesividade uma vez que, na maioria dos casos, o transtorno que causa para as vítimas não é apenas de cunho econômico. “Outrossim, aquele que furta, também é capaz de praticar um roubo, principalmente, em se tratando de usuário de drogas”.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.