Publicidade

Cuiabá também foi alvo das ações desencadeadas nesta terça-feira

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira, 05, nas cidades de Cuiabá (MT) e Vilhena, a Operação Auxílio na Conta, com o objetivo de dar cumprimento a três mandados de busca e apreensão, expedidos pelo Juiz da 7ª Vara Federal da Seção Judiciária de Mato Grosso, em desfavor de pessoas envolvidas com desvios de benefícios de Auxílio Emergencial.

Os crimes investigados são furto mediante fraude, associação criminosa e uso de documentos falsos, cujas penas somadas podem chegar a 16 anos de prisão. O FOLHA DO SUL ON LINE confirmou que em Vilhena foi cumprido apenas um mandado.

As fraudes foram cometidas por meio da emissão de boletos bancários em nome dos investigados e de terceiros, os quais foram quitados com valores provenientes das parcelas do benefício do auxílio emergencial.

De acordo com as investigações, os criminosos teriam sido beneficiários de, pelo menos, 26 contas utilizadas para o recebimento do auxílio emergencial que foram fraudadas. O valor total obtido ilicitamente pelos investigados ainda está sendo apurado pela Polícia Federal.

O nome da operação “Auxílio na conta” está relacionado com o benefício do auxílio emergencial concedido pelo Governo Federal, o qual teve, conforme demonstrado na investigação, valores fraudados e enviados para as contas dos investigados.

A ação faz parte de uma união de esforços denominada Estratégia Integrada de Atuação contra as Fraudes ao Auxílio Emergencial (EIAFAE), da qual participam a Polícia Federal, Ministério Público Federal, Ministério da Cidadania, Caixa, Receita Federal, Controladoria-Geral da União e Tribunal de Contas da União. Os objetivos da atuação interinstitucional conjunta são a identificação de fraudes massivas e a desarticulação de organizações criminosas, com a identificação de seus integrantes, além de recuperar os valores para o erário.

Via Folha do Sul Online

Read More

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.