Publicidade

A Polícia Civil de Mato Grosso, por meio da Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Informáticos (DRCI), e a Polícia Civil de Goiás, por meio do Grupo de Repressão a Estelionatos e Outras Fraudes (DEIC), deflagraram, na manhã desta quarta-feira (27.07), a Operação Fraudator, com objetivo de cumprir ordens judiciais contra uma associação criminosa voltada a golpes e fraudes cometidos pela internet.

As ordens judiciais são cumpridas nas cidades de Cuiabá e Várzea Grande e, até o momento, quatro pessoas tiveram mandados de prisão cumpridos. Eles foram encaminhados para a Gerência Estadual de Polinter.

A operação tem o objetivo de cumprir mandados de prisão, busca e apreensão domiciliar, expedidos pela Justiça de Goiás contra integrantes de uma associação criminosa, identificados em duas investigações distintas realizadas pela Polícia Civil daquele estado..

Em Mato Grosso, a operação é coordenada pela DRCI, com apoio operacional da Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE), Gerência Estadual de Polinter e Capturas, delegacias da Regional de Várzea Grande e Diretoria de Inteligência.

Segundo o delegado da DRCI, Ruy Guilherme Peral da Silva, a operação conjunta entre as polícias Civil de Mato Grosso e Goiás tem o objetivo de combater fraudes praticadas pela internet, identificando grupos envolvidos nos crimes e prendendo seus integrantes.

“Os trabalhos buscam mostrar que a internet não é terra sem lei e há punições severas para os envolvidos nesse tipo de crime. As penas por fraude eletrônica são de 4 a 8 anos de reclusão, podendo chegar até 16 anos de prisão, além do crime de associação criminosa”, disse o delegado.

Nome da operação

Fraudator: Aquele que comete fraudes, enganador, trapaceiro.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.