Publicidade

Pequenos criadores de gado passaram por curso de vacinação contra brucelose, nos dias 29 e 30 de junho, oferecido por meio de parceria da Prefeitura de Várzea Grande com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR-MT) e com o Sindicato Rural de Nossa Senhora do Livramento. Treze criadores participaram do treinamento teórico e prático, ocorrido no barracão da Associação dos Produtores Rurais da Comunidade Sadia III, sob instrução do médico veterinário credenciado ao SENAR-MT, José Oliveira, e acompanhamento do engenheiro agrônomo da Secretaria Municipal de Meio ambiente e Desenvolvimento Rural Sustentável (SEMMADRS), Francisco Nunes de Oliveira Júnior.

De acordo com o servidor, o objetivo do curso é capacitar os produtores para que tenham conhecimento das doenças e dos procedimentos relativos à manutenção da sanidade animal, garantindo a saúde do rebanho. “No curso os pequenos criadores de gado aprenderam sobre a fisiologia do gado, a importância da sanidade animal, Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose Animal; materiais utilizados na vacinação e cuidados com as seringas, conservação da vacina no curral, manejo com os animais e aplicação da vacina e também sobre a necessidade de comunicar a vacinação ao INDEA”, explica Francisco.

Várzea Grande tem cerca de 28 mil cabeças de gado registrados no Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT). Aqueles que fazem parte da agricultura familiar estão passando por um processo de reconhecimento por parte da Secretaria. “Firmamos um projeto de extensão junto à Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) para desenvolver um levantamento específico da cadeia produtiva da bovinocultura, onde são realizados diagnósticos, com base em dados como idade, sexo, raça do rebanho, se tem registro no Indea, doenças existentes, vacinação e vermifugação, existência de curral, condições do solo e do pasto, suplementação, beneficiamento, entre outros. Com isso, vamos poder rastrear quais são as dificuldades, desafios e possibilidades desses produtores”, afirma Jhonattan Luydd Fernandes Ferreira, coordenador de Desenvolvimento Rural Sustentável.

BRUCELOSE – A brucelose bovina é uma doença causada por uma bactéria denominada Brucella abortus (conhecida como moléstia de Bang), ocasionando frequentemente aborto em vacas principalmente no terço final da gestação, orquite nos machos, além de prejudicar a produção de leite.

A vacinação deve ser feita em todas as fêmeas das espécies bovina e bubalina, na faixa etária de três a oito meses de idade. Em propriedades certificadas, recomenda-se que as bezerras, sejam vacinadas com até seis meses de idade.

A brucelose é uma zoonose, ou seja, é transmitida dos animais para os humanos. O homem pode obter a doença pela ingestão de carne, de leite e derivados sem o tratamento térmico adequado ou com o contato direto com um animal doente.

Os sintomas da brucelose em humanos são sinais comuns a outras doenças, o que dificulta o diagnóstico, sendo eles: febre, mal estar, calafrios, fraqueza, dores, entre outros (fonte: Prodap).

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.