Publicidade

O comício ocorria antes das eleições para o Senado japonês, marcadas para domingo (10). Abe discursava em apoio a Kei Sato, um membro da Câmara Alta do Parlamento que concorre à reeleição como representante da cidade de Nara. A polícia japonesa deteve um suspeito do ataque, Tetsuya Yamagami.

“Recebo com extrema indignação e pesar a notícia da morte de @AbeShinzo, líder brilhante e que foi um grande amigo do Brasil. Estendo à família de Abe, bem como aos nossos irmãos japoneses, a minha solidariedade e o desejo de que Deus cuide de suas almas neste momento de dor”, disse Bolsonaro na rede social.

O presidente brasileiro anunciou, em uma outra postagem, ter decretado luto oficial no país, em reconhecimento à boa relação entre o político japonês e o Brasil.

“Como sinal de nosso respeito ao povo japonês, de reconhecimento pela amizade de Shinzo Abe com Brasil e de solidariedade diante de uma crueldade injustificável, decretei luto oficial em todo o país durante 3 dias. Que seu assassinato seja punido com rigor. Estamos com o Japão”, twitou o presidente brasileiro.

Shinzo Abe, de 67 anos de idade, foi primeiro-ministro do Japão de 2006 a 2007 e, mais tarde, de 2012 a 2020. Foi o líder japonês com maior longevidade no cargo.

Em nota, o Ministério das Relações Exteriores informou que recebeu com tristeza e consternação a notícia do falecimento do ex-primeiro-ministro do Japão.

“O Brasil condena, nos mais fortes termos, o ataque covarde ao ex-primeiro-ministro e soma-se ao governo e ao povo do Japão no repúdio a todo tipo de violência política, que atenta contra nossos valores compartilhados de defesa da democracia e da paz.”

A pasta destacou que Abe trabalhou de maneira incansável pelo aprofundamento da amizade entre Brasil e Japão.

“Durante seu governo, as relações bilaterais elevaram-se para o patamar de parceria estratégica e global, revelando o reconhecimento da importância do relacionamento em todos os seus aspectos: político, econômico, humano. Abe sempre cultivou interlocução com o Brasil no mais alto nível e sua presença na cerimônia de encerramento dos Jogos Olímpicos Rio 2016 simbolizou o afeto entre os dois países.”

Em evento realizado nesta sexta-feira, para entrega de espadins aos cadetes da Força Aérea Brasileira (FAB), em Pirassununga (SP), o presidente Jair Bolsonaro pediu toque de silêncio em homenagem ao ex-primeiro ministro japonês Shinzo Abe.

Matéria alterada às 12h06 para acréscimo da nota do Itamaraty e às 12h50 para acrescentar pedido do presidente de toque de silêncio.

source

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.