Publicidade

A escola tem um papel que vai muito além de ensinar, atuando ainda na missão social importante nas vidas de alunos e famílias. O Programa Saúde na Escola (PSE) é uma das ações para fortalecer esse vínculo e levar orientações para o bem-estar da comunidade escolar, do aluno, da família e da comunidade onde estão inseridos. Ele é desenvolvido pela Prefeitura de Várzea Grande, por meio das secretarias municipais de Saúde e de Educação, Cultura, Esportes e Lazer.

O objetivo é contribuir para o pleno desenvolvimento dos estudantes da rede pública de ensino da Educação Básica, por meio do fortalecimento das ações que integram as áreas da saúde e da educação no enfrentamento de vulnerabilidades, na ampliação do acesso aos serviços de saúde, na melhoria da qualidade de vida e no apoio dos processos formativos dos profissionais de saúde e de educação.

Para tanto são inseridas ações integrativas, com temas atuais em Saúde, dentro das atividades curriculares, ou seja, o aluno estuda tecnicamente e cientificamente, um evento em saúde que atinge a todos. A exemplos da pandemia da Covid-19, dos surtos de doenças contagiosas, alimentação saudável, saúde bucal, verificação da situação vacinal e da importância da vacina, promoção a atividade física e seus benefícios, prevenção às doenças, obesidade, dengue, ao uso de drogas lícitas e suas conseqüências. Além das violências e acidentes, promoção a cultura de paz e direitos humanos, saúde ambiental, entre outros.

“Todos estes temas, têm abordagem educativa, que incentiva a pesquisa, a produção de textos e o diálogo. A Saúde destina profissionais, que atuam nas Unidades Básicas de Saúde, localizadas próximas às escolas, porque a realidade vivenciada é igual, é o mesmo território, o que facilita o ensino aprendizagem, quando o tema é abordado, junto com as equipes da Secretaria de Educação. As abordagens educativas, para os temas, são por meio de palestras, linguagem lúdica, teatro, brincadeiras, roda de conversa, porém dentro do propósito do ensino-aprendizagem. Os professores podem escolher a disciplina que melhor se adapta a um tema que será abordado, para melhor explorar o conhecimento”, explicou o superintendente de Atenção Primária à Saúde, Geovane Renfro.

Geovane também pontua que as escolas e Unidades de Educação Infantil da rede municipal de Várzea Grande foram pactuadas dentro do Programa Saúde na Escola do Ministério da Saúde, para desenvolver o projeto. “Acredito que a escola que aderiu ao programa deve ser vista de forma integral e como um dispositivo social de relação família e comunidade. É por isso que precisa reconhecer no programa que a escola deve ser inserida na rede de atenção primária, pois atenção à saúde dos estudantes, os serviços são ofertados na sua grande maioria, na Unidade de Atenção Primária do SUS, no seu bairro, onde ele é vacinado, recebe a primeiro atendimento em saúde, recebe informações preventivas de doenças. E levar isso tudo para dentro da escola, forma ação coletiva de cuidados para evitar doenças, dentro e fora da escola, como o caso da dengue, que o combate depende de todos, para que ninguém fique doente, além da interatividade junto à comunidade em que vive, quando o tema abordado é saúde ambiental, prevenção das violências. Todos participam alunos, comunidade escolar, pais, e comunidade do bairro. A informação se propaga para todos”, detalha.

Os temas que são abordados são para fortalecimento da saúde e bem-estar dos alunos, familiares e comunidade onde vivem. Uma das iniciativas com esse foco é o tema práticas de atividade física entre escola e família. “Uma proposição que partiu da secretaria municipal de Educação, já que os alunos têm na disciplina a prática de educação física. A Saúde entra para complementar o tema alimentação saudável, além do que nas Unidades de Saúde, também existe o projeto de prática de atividade física de forma saudável para idosos das comunidades. Todas estas informações e atividades, formam um conjunto de atitudes coletivas para o bem estar de todos”, complementa.

Com a pandemia da Covid-19, ações do projeto foram adaptadas para levar conscientização e informação sobre a importância dos cuidados com a Pandemia e que chegaram aos pais. “Para todas as orientações e práticas, os professores contam com apoio de especialistas de saúde que levam as informações corretas, para que os alunos possam desenvolver o tema em suas atividades educacionais”, disse Renfro.

“O projeto tem método educacional, aliado a  importância de fortalecer as políticas públicas sobre a prevenção em saúde e sem menosprezar as ações curativas e conta com essa estratégia de integração social, entrelaçando com a prática regular curricular, trazendo a conscientização para os pais, os alunos, bem como os professores e o corpo da equipe da escola. Resumindo, o público beneficiário do PSE são os estudantes da Educação Básica, gestores e profissionais de educação e saúde, comunidade escolar e, de forma mais amplificada, pais e comunidade em que vivem”, finaliza Geovane Renfro, dizendo ainda, que a Saúde Pública avança na oferta de serviços e no cuidado em Saúde de cada aluno da Rede Municipal de Ensino Básico com o Programa Saúde na Escola.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.